CRIMES DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA AUMENTAM EM PONTA PORÃ E PREOCUPA AUTORIDADES

- 02/07/2015 - 0:00 | 0 comentários
Violência Contra Mulher


007f7dcc1de776ae0fbd86ceae8656ad

A Delegada Titular da Delegacia de atendimento à Mulher de Ponta Porã informou que, em menos de uma semana, foram registrados dois crimes contra a vida, no âmbito doméstico, um que vitimou fatalmente, na data de 27/07/2015, a vítima Lucinete de Oliveira (24), assassinada pelo seu próprio irmão, na madrugada do ultimo dia (27) a golpes de foice e faca, tendo seu corpo posteriormente queimado, no assentamento Itamarati e a segunda vítima, Aline Maldonado Vilhagra (24), que sofreu uma tentativa de homicídio na tarde de quarta feira (01), no centro de Ponta Porã, quando foi atingida, por seis disparos de arma de fogo do tipo pistola, disparados pelo seu ex-namorado Hugo Ademir Valiente Lopes (31), inconformado com a separação.

Segundo a Delegada da Delegacia de Atendimento a Mulher (DAM) Sueili Araujo, os crimes dessa natureza, pela sua brutalidade e crueldade, por parte dos agressores, chocam toda a sociedade pontaporanense e requer união de todas as forças, para o seu efetivo enfrentamento, ou seja, judiciário, MPE, polícia militar, polícia civil, agentes de saúde, médicos e hospitais, população em geral, a fin de que o ato seja denunciando, possibilitando um atendimento diferenciado às mulheres em situação de violência doméstica nesta região de fronteira, com a celeridade necessária, considerando que, normalmente, os agressores evadem-se para o vizinho país Paraguai, após as condutas criminosas, não respondendo por seus atos, o que os deixa com a sensação de impunidade e com coragem para atuar com a extrema covardia contra a vitima.

A Delegada informou ainda que a vítima Aline Maldonado Vilhagra, já vinha sofrendo ameaças e agressões físicas por parte de Hugo Ademir, mas tinha medo de procurar a delegacia o que só fez no decorrer deste mês, demonstrando hesitação em representar criminalmente, contra o mesmo, por medo, quando foi orientada a representar e tomadas às providências cabíveis, com a instauração do inquérito policial.

A autoridade policial destacou, desse modo, que nos casos de violência doméstica contra a mulher, a vítima deve procurar a delegacia o quanto antes, logo na primeira agressão, visto que estas só tendem a aumentar e se tornarem cada vez mais graves, podendo chegar a crimes cruéis como os observados nos últimos 5 dias nesta parte da fronteira.

A delegada mencionou ainda que, mesmo com todas as dificuldades, diante do reduzido efetivo, a Delegacia de Atendimento à mulher de Ponta Porã já encaminhou ao fórum e Ministério Público, somente no decorrer deste ano, mais de 300 (trezentos) procedimentos concluídos, onde se encontram em tramitação, e outros cerca de 300 inquéritos tramitam pela Unidade Policial, sendo que dezenas de medidas protetivas de urgência foram encaminhadas e deferidas pelo Juízo de Direito da Vara respectiva, com ágeis notificações aos agressores que, dentre outros, são proibidos de se aproximar das vítimas, sob pena de ter decretada sua prisão preventiva.

Conforme a Titular da DAM, todos os esforços estão sendo empreendidos pela polícia civil de Ponta Porã, incluindo os agentes da DAM, com apoio do SIATO, para a prisão de Hugo Ademir Valiente Lopes, o qual se encontra ainda em estado de flagrância, visto que as buscas continuam, incessantemente, desde a data da tentativa de homicidio.