MEDICO FORAGIDO DA JUSTIÇA BRASILEIRA E PRESO NO PARAGUAI

- 13/06/2015 - 0:00 | 0 comentários
Segurança Pública


1eca156427374c8abf4738e42b464eef

Médico Veterinário foragido da justiça brasileira e preso no Paraguai onde studava medicina.

O médico veterinário e ex-organizador de rodeio em Adamantina estado de São Paulo, Edson Iwao Matsuda (48) foi preso na manha de sexta feira (12) na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero na fronteira com Ponta Porã no estado de Mato Grosso do Sul por agentes da Seção de Investigação, coordenada pelo comisario Jorge Vidallet, da Policia Nacional do Paraguai, o mesmo se encontrava utilizando documentações falsas.

Ele é acusado de ter matado a tiros o coordenador de uma clínica terapêutica de reabilitação de dependentes químicos, em Bragança Paulista, onde Matsuda era interno na clínica e foi flagrado pelo sistema de monitoramento entrando no local e em seguida, saindo com uma arma na mão; logo após o coordenador do local, Fernando Prado Nogueira foi encontrado morto por agentes da policia. As imagens mostram que o funcionário da clínica acessa o estacionando com seu veículo, seguido de Matsuda que para o veículo, Hyundai/Tucson, enfrente à clínica e entra no local. Em seguida, o médico veterinário sai do prédio e corre em direção ao carro. As imagens não mostram o momento da execução.

Edson é adamantinense e tem familiares que residem na cidade até hoje. Ele organizou edições consecutivas da festa do peão em Adamantina com o RTA (Rodeio Técnico de Adamantina), além disso, é conhecido no universo do rodeio por ter sido considerado um dos melhores juízes de montaria do Brasil. Segundo informações obtidas pela reportagem, ele teria se afastado deste meio para iniciar tratamento e terminou executando a tiros Fernando Prado Nogueira, posteriormente fugiu ao Paraguai onde residia e estudava medicina em uma conceituada faculdade da cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero.

A prisão de Edson Iwao Matsuda, foi comunicada aos agentes policiais do Brasil e devera ser expulso do Paraguai e entregue aos agentes do Departamento Operações de Fronteira (DOF) nas próximas horas, para responder pelo crime de homicídio.


Deixe um Comentário