Embaixador do Brasil no Paraguai vem a Dourados conhecer o Sisfron

- 12/06/2015 - 0:00 | 0 comentários
Segurança Pública


e3d995a152e18bb86fa197fdc98b26b8

A 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada de Dourados recebeu a visita de José Eduardo Martins Felicio, embaixador do Brasil no Paraguai que veio conhecer o projeto Sisfron (Sistema de Monitoramento Integrado da Fronteira). No local, sede do projeto, lideranças explanaram para o embaixador sobre como o mesmo funciona, além de apresentarem os equipamentos destinados a uso nas ações.

O Sisfron foi lançado em novembro do ano passado e tem por objetivo coibir os ilícitos transfronteiriços como o tráfico de drogas e de armas e garantir mais segurança a população.

O embaixador falou pouco sobre o projeto por afirmar estar se inteirando do mesmo de maneira muito recente, porém citou que o aparato tecnológico somado a cooperação militar entre os países deve acrescentar muito.

“Acho que a tecnologia é sempre importante para ajudar na fiscalização de nossa fronteira, isso é um avanço importante. O Brasil tem no Paraguai o maior contingente de cooperação militar, as missões militares da força aérea, da marinha e do exercito trabalham nelas frequentemente. São 50 militares dando treinamento e manutenção de equipamentos. Na minha opinião, o próximo passo entre os dois países é exatamente esse, o suporte tecnológico. Sobre o sistema em si não posso opinar, pois estou conhecendo agora e pelo visto vem agregar muito”, pontuou.

O general Rui Yutaka Matsuda aproveitou a oportunidade e reforçou que o Sisfron já está com 60% de sua implantação completa em cerca de 650 quilômetros de fronteira do Brasil através do Mato Grosso do Sul. Ele destaca que algumas ações de segurança já ocorrem e que até 2016 a previsão é que sua estrutura esteja totalmente implantada.

“Os 40% restantes vão fazer falta mas, já temos condições de operar razoavelmente dentro daquilo que a gente pretende. Provavelmente até o final do ano consigamos chegar a 80% da conclusão e em mais um ano se finalize. Quanto ao que já pode ser feito, temos diversos sensores entre radares e câmeras e meios de comunicação que podemos ter um grande avanço nas operações”, destacou.

Após o projeto-piloto em Dourados, o Sisfron será implantado em outras partes do país a um custo total estimado em R$ 12 bilhões e é um dos principais investimentos recentes do Ministério da Defesa para estruturar a segurança nas fronteiras.

Fonte Douradosnews


Deixe um Comentário