Sabatel: Santa Casa precisa do apoio de toda a sociedade para se reestruturar

- 04/04/2017 - 0:00 | 0 comentários
Saúde


5e6a0457f5e520c811772db7d17e2893

Presidente da Junta Interventora que administra a Santa Casa de Corumbá, o médico Antônio Sabatel defende uma ampla participação popular no cotidiano do hospital. Única da região, responsável pelo atendimento dos corumbaenses, ladarenses e bolivianos da faixa de fronteira, a instituição acumulou dívidas impagáveis que dificultam o investimento no setor.

 

“Levantamento mostrou uma dívida total de R$ 44 milhões, entre Energisa, Saneul, White Martins, de oxigênio, e vários outros contratos. Essas empresas não cortam o abastecimento, mas em compensação elas entram com bloqueio financeiro”, explicou o médico, lembrando que os bloqueios judiciais na conta da Santa Casa são rotineiros.

 

Para amenizar esse problema, a participação de toda sociedade é fundamental. “A curto prazo precisamos melhorar a receita do hospital. Podemos fazer isso melhorando os convênios e os atendimentos particulares. Também vamos reativar o Grupo de Voluntários, que no passado foi muito atuante aqui dentro”.

 

“Não podemos lembrar do hospital só na hora que passamos mal. Hoje a Santa Casa é a jóia rara de Corumbá. Temos que melhorar essa relação com a população. Quem tiver ideia pode nos procurar, sugerir, ideias, estamos abertos a esse auxílio”, reforçou Sabatel, reforçando que a situação da Santa Casa é igual a de muitas outras cidades.

 

“A situação aqui, como em todas as Santas casas do Brasil, é extremamente difícil. Os custos em medicina são cada vez mais caros, mas o problema maior é no tocante a folha de pagamento. Hoje a folha aqui corresponde a 75% da receita da Santa Casa, sendo que a demanda da medicina é cada vez maior”.

 

O presidente da Junta Interventora destacou ainda o apoio do Governo do Estado para a ampliação de leitos no hospital. “Estamos confiantes de que o apoio do governador Reinaldo Azambuja e de toda a Secretaria Estadual de Saúde vai melhorar as condições de atendimentos que hoje dispomos aqui”, finalizou.


Deixe um Comentário