MS registra aumento de 13% nas denúncias de violência nas escolas este ano

Neste ano, Disque 100 do Ministério dos Direitos Humanos recebeu 143 denúncias de violações em instituições de ensino do Estado

Correio do Estado - 03/11/2023 - 18:45 | 0 comentários
Interior


Guarda Civil e PM aumentaram presença na escola. Foto: Gerson Oliveira

As denúncias de casos envolvendo violência nas instituições de ensino de Mato Grosso do Sul tiveram aumento de 13,48% neste ano, em comparação com o ano passado, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (3) pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC).

De janeiro até outubro deste ano, foram realizadas 143 denúncias pela Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, por meio do Disque 100. Em todo o ano de 2022, foram 126 denúncias.

Importante ressaltar que esses dados são relativos apenas as denúncias realizadas pelo Disque 100, podendo o número de casos ser ainda maior, já que nem todos são denunciados ao Ministério.

Em todo o Brasil, o Disque 100 registrou 9.530 denúncias – um aumento de cerca de 50% em comparação ao período anterior, quando mais de 6,3 mil denúncias aconteceram.

A divulgação dos dados marca o encerramento da campanha digital pela valorização dos educadores e professores do Brasil, iniciada no início de mês passado. A iniciativa foi planejada levando em conta que em 15 de outubro é celebrado o Dia Mundial do Professor.

Foram consideradas no levantamento denúncias envolvendo berçário, creche e instituições de ensino. Cada denúncia pode conter uma ou mais violações de direitos.

Com relação a berçários e creches, foram 12 denúncias em Mato Grosso do Sul neste ano.

O levantamento não traz dados detalhados de quais os tipos de violência ou violação de direitos ocorreram em cada denúncia, nem quais ocorreram em cada Estado.

Um dos casos mais graves de violência registrados neste ano ocorreu no dia 18 de maio, na Escola Municipal Bernardo Franco Baís, na Avenida Calógeras, em Campo Grande. Um adolescente esfaqueou uma mulher que deixava o filho na unidade escolar.

No entanto, segundo a Pasta, foram identificadas violações em áreas como direitos civis, políticos e sociais, discriminação, injúria racial e racismo, liberdade, integridade física e psíquica e direito à vida. Em boa parte dos casos, os professores foram as vítimas.

Em nota, o ministro Silvio Almeida disse que o País precisa ter um novo olhar para os docentes, inclusive no que se refere ao respeito, reiterando o compromisso do MDHC com o direito e a liberdade do professor ensinar.

“Professores e professoras são pessoas valiosas para nós. A sala de aula é um espaço para a construção de cidadãs e cidadãos conscientes e responsáveis. Para isso, é necessário denunciar violações de direitos humanos contra os professores. Nenhuma forma de perseguição será tolerada”, disse o ministro.

Também fazem parte dos grupos mais vulneráveis crianças e adolescentes, pessoas com deficiência e mulheres.

Nestes grupos, de acordo com o Disque 100, as principais violências praticadas no âmbito do ambiente educacional são de ordem emocional, envolvendo constrangimento, tortura psíquica, ameaça, bullying e injúria.

Disque 100

Canal de denúncias sob a responsabilidade da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos do MDHC, o Disque 100 recebe, analisa e encaminha denúncias de violações.

O serviço gratuito pode ser acionado por meio de ligação gratuita, WhatsApp (61) 99611-0100, Telegram (digitar “direitoshumanosbrasil” na busca do aplicativo), site da Ouvidoria e aplicativo Direitos Humanos Brasil.

Em todas as plataformas, as denúncias são gratuitas, anônimas e recebem um número de protocolo para que o denunciante possa acompanhar o andamento diretamente com o Disque 100, de forma gratuita, por telefone fixo ou celular. Basta ligar para o número 100 para fazer o acompanhamento.


Deixe um Comentário