Indústria de MS cria quase 11 mil novas empregos no acumulado do ano

Segundo o economista-chefe da Fiems, Ezequiel Resende, as atividades industriais que mais abriram vagas no mês de setembro foram: extração de minério de ferro (+163), construção de edifícios (+136), obras de infraestrutura (+109), abate de bovinos (+65) e fabricação de álcool (+62)

Sistema Fiems - 13/11/2023 - 15:19 | 0 comentários
Indústria


Agroindústria do frango. Foto: Sistema Fiems

O setor industrial foi responsável pela abertura de 573 postos formais de trabalho em Mato Grosso do Sul em setembro, resultado de 7.761 contratações e 7.188 demissões. Já no acumulado de janeiro a setembro, são 10.971 vagas abertas pela indústria, resultante de 77.599 contratações e 66.628 demissões, alcançando uma participação de 34% do total de vagas abertas no estado no período indicado.

Segundo o economista-chefe da Fiems, Ezequiel Resende, as atividades industriais que mais abriram vagas no mês de setembro foram: extração de minério de ferro (+163), construção de edifícios (+136), obras de infraestrutura (+109), abate de bovinos (+65) e fabricação de álcool (+62).

Já as atividades industriais que mais abriram vagas no acumulado de janeiro a setembro foram: obras de infraestrutura (+3.953), abate de bovinos (+1.470), instalações e serviços especializados para construção (+1.358), fabricação de álcool (+1.055), extração de minério de ferro (+495), atividades de apoio à extração de minério de ferro (+415), construção de edifícios (+373), fabricação de celulose (+318), curtimento e outras preparações de couro (+241), fabricação de açúcar (+162), fabricação de brinquedos e jogos recreativos (+147), instalação de máquinas e equipamentos industriais (+107), usinagem, tornearia e solda (+105), abate de aves (+84), fabricação de óleos vegetais em bruto (+77), preparação de subprodutos do abate (+74) e fabricação de produtos de carne (+73).

O conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou setembro de 2023 com o total de 153.324 trabalhadores empregados. “Indicando, até aqui, um aumento de 7,7% em relação ao fechamento do ano anterior, quando o contingente ficou em 142.353 funcionários. Por fim, a atividade industrial responde por 24,4% de todo o emprego com carteira assinada (CLT) existente em Mato Grosso do Sul, ficando atrás apenas do segmento de Serviços que emprega 240.214 trabalhadores com participação equivalente a 38,2%”, explicou Ezequiel Resende.

Municípios que mais contrataram

Em relação aos municípios, constata-se que em 55 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação no período de janeiro a setembro de 2023, proporcionando a abertura de 11.542 vagas.

Entre as cidades com saldo positivo de pelo menos 100 vagas, destacam-se: Ribas do Rio Pardo (+3.616), Campo Grande (+2.274), Corumbá (+973), Paranaíba (+637), Três Lagoas (+575), Nova Andradina (+414), Aparecida do Taboado (+298), Dourados (+270), Batayporã (+216), Naviraí (+208), Costa Rica (+170), Água Clara (+139), Fátima do Sul (+138), Sidrolândia (+135), São Gabriel do Oeste (+118) e Itaporã (+101).

As atividades que mais contribuíram nos municípios indicados foram: obras de infraestrutura (+3.806), abate de bovinos (+1.389), instalações e serviços especializados para construção (+1.328), construção de edifícios (+928), fabricação de álcool (+807), extração de minério de ferro (+496), atividades de apoio à extração de minério de ferro (+415), fabricação de celulose (+273), curtimento e outras preparações de couro (+190), fabricação de brinquedos e jogos recreativos (+147), fabricação de produtos de carne (+87), abate de suínos (+77), abate de aves (+73), preparação de subprodutos do abate (+63), confecção de peças do vestuário (+59) e fabricação de refrigerantes (+58).

Por outro lado, em outros 22 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, proporcionando o fechamento de 571vagas. Entre as cidades com saldo negativo de pelo menos 100 vagas destaca-se Bataguassu (-150).

As atividades que mais contribuíram no município indicado foram (3 no total): fabricação de produtos de pastas celulósicas, papel e papelão (-94), confecção de peças do vestuário (-57) e fabricação de conservas de legumes e outros vegetais (-35).

 

 

 


Deixe um Comentário