Prefeito destaca legado cultural de Corumbá ao MS diante do governador

O prefeito ressaltou ainda a importância econômica do FAS para a região

Prefeitura de Corumbá/Assessoria do Governo - 10/11/2023 - 18:08 | 0 comentários
Geral


Iunes e Riedel na abertura do FAS. Foto: Renê Marcio Carneiro

A 17ª edição do Festival América do Sul foi aberta oficialmente na noite dessa quinta-feira, 09 de novembro, com uma solenidade realizada no palco principal da praça Generoso Ponce. Em seu discurso, o prefeito Marcelo Iunes agradeceu o Governo do Estado pela realização do evento e destacou o legado cultural de Corumbá para todo o Mato Grosso do Sul.

“Quero agradecer bastante a você, governador Eduardo Riedel, por ter apostado em Corumbá. Alguns ainda criticam essa festa, mas o Festival América do Sul é um investimento na cultura e que gera muitos empregos e renda para milhares de famílias corumbaenses”, afirmou o chefe do Executivo municipal, que complementou:

“O berço da cultura sul-mato-grossense é aqui em Corumbá. Temos grandes expoentes da cultura que são corumbaenses, de nascimento ou de coração, como o próprio escritor Manoel de Barros. Temos raízes culturais muito fortes e o Festival América do Sul tem que ser sempre aqui”.

O prefeito ressaltou ainda a importância econômica do FAS para a região. “Gera emprego, gera renda e traz também um pouco da história de cada um dos países da América do Sul para termos essa grande festa e que dá oportunidade ao povo corumbaense, ao povo ladarense e aos irmãos bolivianos uma grande festa, com grandes atrações”, completou o Marcelo Iunes.

O governador Eduardo Riedel também destacou a cultura sul-mato-grossense e a cidade de Corumbá como berço destes sentimentos. “Hoje, celebramos a nossa capacidade de exaltar as nossas manifestações de formação histórica. Isto nos dá orgulho de ser sul-mato-grossense e cada vez mais integrados ao Paraguai, Bolívia, Chile e Argentina. Esta relação é cada vez mais forte com nossos vizinhos, passando a respeitar e compreender enquanto América do Sul. Este Festival traz toda esta característica da integração regional. Temos sempre que lembrar que somos uma nação de paz”, descreveu.

Ao chegar na avenida General Rondon, o governador, acompanhado da primeira-dama, Mônica Riedel, visitou estandes, prestigiando o trabalho dos artesãos, além da apresentação dos integrantes da Escola de samba A Pesada. O sincretismo religioso, tão presente em Corumbá, também recepcionou o governador.

O grupo de umbanda Tia Maria da Guiné e a oficina de dança siriri de Corumbá também se apresentaram para as autoridades e o público.

O secretário de Estado de Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania, Marcelo Miranda, agradeceu as pessoas que ajudaram a construir o Festival para valorizar nossa cultura. Fazemos isso com muito carinho para a população e com o Festival presente também nas comunidades”.

Já o diretor-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Eduardo Mendes, exaltou os fazedores de Cultura. “Quero parabenizar e desejar a todos um Festival repleto de alegria e muita arte”.

Mestres Cururueiros

Outro momento marcante da abertura foi a homenagem a 23 mestres Cururueiros do Pantanal” – que são os artesãos/violeiros que dominam a arte secular de fabricar e tocar a viola-de-cocho, instrumento registrado como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Doze mestres de Mato Grosso do Sul e onze de Mato Grosso foram homenageados no palco Integração.

O mestre Sebastião Brandão, em nome de todos os cururueiros , recebeu uma homenagem das mãos do governador Riedel. Os chamados cururueiros, em sua grande maioria, vivem em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em regiões banhadas pelas águas do Rio Paraguai e seus afluentes.

Muito utilizada em gêneros musicais tradicionais na região, como o siriri e o cururu, a viola-de-cocho e sua produção está hoje restrita a um pequeno grupo de anciãos cururueiros que, com dificuldades, procuram manter viva a tradição.

O FAS 2023 está com mais de 120 atrações, 15 horas de programação, entre dança, teatro, música, oficinas, espetáculos circenses e de grupos folclóricos do Brasil, Bolívia, Paraguai, Chile e demais países amigos, até o dia 12. São esperadas, nos quatro dias do Festival, mais de 140 mil pessoas, brasileiros e estrangeiros que curtiram sensações latinas de pura magia, alegria e paz.

 


Deixe um Comentário